quarta-feira, 1 de abril de 2009

Tomar decisões...

A vida ensina-nos muita coisa. Nesse disposto, há momentos na vida em que somos arrastados para processos de tomadas de decisões, nem sempre fáceis de tomar. É a inteligência da vida a convidar-nos a enfrentarmos os nossos receios mais sublimes e a conceder-nos a possibilidade de verificarmos até que ponto temos respeito por nós mesmos.
Não raras vezes, este tipo de decisões implica a possibilidade de nos desviarmos de pessoas que julgamos ser importantes na nossa vida. Claro está que esse é um dos factores que algumas vezes acaba por de alguma forma dificultar essa tomada de decisão, mesmo muitas vezes revelando-se a mais acertada.
Todavia, o medo da solidão e da perda acaba por exercer grande pressão sobre nós mesmos e isso pode ser fundamental. Enfrentado esse medo ou receio, conforme o tamanho da nossa insegurança, os resultados podem ser verdadeiramente espantosos. Além de nos permitir perceber até que ponto estão as pessoas na nossa vida (amigos, familiares, colegas, etc.) é-nos dada a capacidade de conhecer quais os nossos limites.
Na verdade, tudo na vida parece ter um limite e quando os mesmos são atingidos poderá não haver retorno e esse pode ser mais um dos factores a alimentar o nosso medo, a nossa indecisão ou se preferirmos a nossa insegurança.
Perante tudo isto, torna-se vital tomar decisões. Tomar decisões, mesmo que estas se revelem difíceis e desafiem todas as nossas estruturas, a execução destas acaba por nos trazer benefícios incalculáveis à primeira vista.
Um dos primeiros lucros, em resultado de tão nobre acto de coragem, de nos enfrentarmos a nós mesmos, é o nível da nossa auto-confiança que sobe consideravelmente, para níveis muitas vezes impensáveis antes.
Porém, os ganhos não ficam por aqui pois, este acto de coragem acaba por possibilitar que se sinta uma liberdade interior muito grande e entrar numa cadeia e num ciclo de positivismo e capacidade de auto-suficiência, não descurando as relações inter-pessoais, fundamentais ao equilíbrio do ser humano.
No entanto, esta tomada de posição, como referido antes, pode desviar dos nossos caminhos pessoas até então consideradas importantes. Em rigor, as tomadas de decisão são uma ambivalência uma vez que tomar decisões implica obrigatoriamente abdicar de algo e, como bons humanos que somos, nem sempre é fácil abdicar de algo.
Em resumo, tomar decisões é um convite a olhar para a frente, abdicar do posso passado, o qual têm extrema importância para os museus, é um aceno ao futuro e o futuro é sempre melhor. É como que convidar as pessoas a deixar de viver a vida, olhando constantemente pelo retrovisor, passando dessa forma a vivê-la de olhos postos no futuro. Para a frente é que é caminho. De facto, podemos errar mas o erro faz parte da experiência!

9 comentários:

Pedro disse...

boas amigo....tomar decisoes?é o sinonimo de si mesmo...na vida todos dias tomamos decisoes...tomamos a decisao de como queremos as nossas "coisas"...posso dar um exemplo de como este senhor das palavras é o sinonimo de tomar decisoes...uma vez na vida sentime perdido na minha carreira futebolistica, nao saberia qual a decisao que deveria tomar, sentiame uma pessoa indecisa, e baralhada...simplesmente uma pessoa de quem falo, expôs a sua experiencia de vida, o seu crer e o seu caracter de pessoa e ajudoume numa coisa que sempre me impos...tomar a minha decisao certa!!hoje estou diferente, mais maduro e visto com outros olhos..por isso so lhe agredeço e obrigado por TOMAR A DECISÃO DE SEMPRE! Abraço

Pedro disse...

boas amigo....tomar decisoes?é o sinonimo de si mesmo...na vida todos dias tomamos decisoes...tomamos a decisao de como queremos as nossas "coisas"...posso dar um exemplo de como este senhor das palavras é o sinonimo de tomar decisoes...uma vez na vida sentime perdido na minha carreira futebolistica, nao saberia qual a decisao que deveria tomar, sentiame uma pessoa indecisa, e baralhada...simplesmente uma pessoa de quem falo, expôs a sua experiencia de vida, o seu crer e o seu caracter de pessoa e ajudoume numa coisa que sempre me impos...tomar a minha decisao certa!!hoje estou diferente, mais maduro e visto com outros olhos..por isso so lhe agredeço e obrigado por TOMAR A MELHOR DECISÃO DE SEMPRE! Abraço

Emília Azevedo disse...

Tomar decisões é...

Parada!Indecisa!
Passo á frente...´
Passo atrás
Hesito e encosto-me
Bem ali... num canto qualquer
Muita gente passa
O movimento é enorme
E eu nada consigo ver
Aguardo um vazio
De seis anos e...
Vejo op sonho a chegar
O estômago a contrair-se
as pernas a tremer
É tão lindo o meu sonho!
Já não quero acordar
Ele sacode-me...
Acabo por aceder
É o amor que parte
E quero que volte
Mas o telefone vai tocar
No silêncio da noite
E vou poder sonhar...
Que sou chocolate a derreter!...

Tomar decisões requer ponderação, sabedoria e uma boa dose de poesia...

E tu tens o dom de transcreveres os mais complexos pensamentos por palavras as quais saboreio com deleite

Com eterna Amizade
Emília Azevedo

Cristiana Antunes disse...

Concordo plenamente... Por vezes tomar uma decisão torna-se muito complicado pois pode influenciar varias pessoas...É preciso pensar muito bem e em tudo o que ela pode causar... mas se for decisiva para o nosso futuro acho que não devemos hesitar... Depende de td!

paulo freitas disse...

é mesmo tomar as decisões correctas é o mais dificil!!!!e tu ajudaste-me a toma-las e nunca me esqueço disso pois se hoje sou uma pessoa mais forte deve-se ao facto de ter tomado as melhores decisões com a tua ajuda

Marlene disse...

É sempre mais fácil não decidir. É sempre mais fácil ficar sentado no sofá. É sempre mais fácil usar a coardia justificação. Mas não há nada que justifique a nossa decisão de não tomar uma decisão.
Como me ensinaste, no minímo estamos a culpar alguém, resta saber quem!
Beijinho

Edgar Veloso disse...

Nem todos têm coragem de tomar decisões. Elas só estão ao alacance dos grandes e/ou daqueles que querem crescer. Criticar quem errou é sempre mais fácil, dificil é não errar.

Rita disse...

Por vezes aparecem-nos situações na vida em que temos que tomar decisões dificeis, em que a decisão correcta nos poderá fazer sofrer. Mas era a decisão que tinha que ser tomada.
A questão é até que ponto somos nós capazes de tomar decisões que nesse momento nos façam sofrer?

Sabrina disse...

Eu tomei uma decisao que achava q seria melhor para min...pq pensava q nao tinha mais jeito...
ai estou sofrendo...