sexta-feira, 23 de outubro de 2009

Para ti, com amor e carinho

Nem sempre é fácil colocarmos no papel os nossos sentimentos, especialmente quando eles se referem a alguém por quem possuímos sentimentos fortes. Hoje, sinto-me particularmente feliz, ao perceber a quão rico sou por te ter tido na minha vida.

Possivelmente, deves ter passado horas complicadas comigo, na fase em que a turbulência pouco mais permitia que crises de existencialismo e insegurança.

Porém, quero dizer-te que me sinto feliz por te ter tido meu lado, que te admiro e que me orgulho principalmente por me teres dado apenas o teu amor, o teu carinho, a tua atenção de forma tão pura, sabendo eu que não tinhas essa obrigação.

Contudo, mais que tudo o que tens fizeste por mim, aquilo que continuas a fazer mostra-me o quanto me amas, algo que nem sempre lembrei, talvez por sentir a falta de outra pessoa, talvez por ter demasiado saliente a minha insatisfação, característica inerente à minha condição de humano.

Na verdade, os anos passaram e deram-me a maturidade, a lucidez que eu necessitava para poder avaliar as situações com mais senso e justiça e hoje tudo faz todo o sentido na minha história de vida. Por tudo isso, és alguém que jamais quero esquecer, quero antes reconhecer, reconhecer todos os esforços e sacrifícios que fizeste para me tornares um ser melhor.

Queria dizer-te também que me impressionaste muito com toda a disponibilidade que sempre demonstraste ter, sempre que precisei de ajuda ou orientação, duma palavra carinhosa, de um sorriso ou de um simples abraço no tempo certo.

É certo que com os anos deixei de dizer tantas vezes obrigado, não por que não o merecesses ou porque me tivesse esquecido de tudo o que me fizeste, mas porque não há palavra no mundo para dizer na verdade aquilo que sentia por ti e para te fazer perceber o quanto te estou agradecido.

Apesar de ser para mim difícil falar de sentimentos quero expressar aqui apenas um, que resume toda esta carta e toda a nossa história: amo-te. Estejas onde estiveres e como estiveres…

Descansa em paz, com amor;

Ricardo

18 comentários:

Menina do cantinho disse...

Pois é, as vezes não há palavras que expressem os nossos sentimentos.
A palavra "obrigado" nem sempre é suficiente para agradecermos a alguém aquilo que fez por nós.
Mas seja quando for, esteja onde estiver nunca é demais dizê-la.

Mesmo muito linda esta carta.
Com toda a certeza que esta é uma grande história.

Beijinhos

Susana disse...

Palavras lindas repletas de sentimento. Mais uma vez nos tocas com as tuas palavras, especilamente, tocantes..,

Beijinhos

Susana

MARY disse...

Simplesmente linda esta tua carta, vai inspirar muita gente tenho certeza!
Aproveito tambem para te dizer que me sinto feliz por fazeres parte da minha vida! mesmo distante tens estado sempre presente, aquela palavra amiga ou aquele abanão tipo "acorda"! és um amigo muito especial! OBRIGADA por tudo!
Jinhos

Ricardo Veloso disse...

Há pessoas que, mesmo não passando muito tempo pela nossa vida ou passando pouco tempo nela no verdadeiro sentido da palavra, nos marcam profundamente. Tu és sem dúvida uma dessas pessoas na minha vida e, passados estes anos todos, continuas a aturar-me com uma paciência quase desumana, apesar de eu nem sempre estar tão presente na tua vida, tanto quanto mereces, mas quero apenas que saibas, que longe ou perto, que gosto de ti. Muito, e isso faz toda a diferença...

Susana disse...

Nos blogues encontramos pessoas, conhecemos pessoas, tocamos os corações.
Ricardo fazes isso na perfeição, a tua sensibilidade toca até o coração mais duro e frio. Apesar de não fazer parte do teu leque de amigos admiro-te muito.

Parabens
Susana

Ricardo Veloso disse...

Olá Susana
A distância e o tempo não são factores que inibam o que quer que seja, muito menos uma amizade. Poderás dizer que nos conhecemos à pouco, mas temos muita empatia e o mesmo gosto pela escrita.
Adorei o teu blog, escreves muito bem e grandes verdades e é para mim uma honra ter-te nos meus amigos e saber que lês e comentas os meus textos.
Obrigado
P.S. Aquilo não é aquele que está sempre, é aquele que está quando mais precisamos...

Adriana Veloso disse...

O que marca fica :DD
E essa pessoa ficou marcada no teu coração, é espetacular a forma como recordas.
Tu não ficas triste porque acabou, mas sim, sorris porque aconteceu.

=P

Ricardo Veloso disse...

Tu sabes bem aquilo que passei com a partida dela, mas a vida é mesmo assim: nem sempre podemos estar na maneira que queremos com quem queremos.
Beijo princesinha

Anónimo disse...

como deves imaginar para mim este texto tem muito significado...obrigado... como e importante dizer "amo-te" e muitas vezes com a correria da vida, com os problemas, com o trabalho esquecemos...e muitas vezes so nos lembramos quando algo acontece ou quando ja e demasiado tarde e perdemos a pessoa amada....
por isso, antes que seja tarde demais... para todos os meus amigos.... gosto mt de voces.

Ricardo Veloso disse...

Calculo quem sejas por isso sei que o que dizes é real e o sentido que o texto te faz. Foi escrito com o título "com amor e carinho" para alguém muito especial para mim a quem o dediquei...
O resto penso que sabes:-)
Também gosto de ti.
Força

Gabi Costa disse...

E diz-se por ai que já não se escreve cartas de amor.Mentira. Só mudou foi o "papel" onde se regista e se escreve o amor...
Adorei Ricardo...muito inspiradora a tua carta, assim como todos os teus textos.
Continuo fã :)
Beijinho

Ricardo Veloso disse...

Olá amiga
Muito obrigado pelo teu comentário e pelas palavras elogiosas que me dão força para continuar a publicar os meus textos.
Na verdade, concordo contigo. De facto, ainda se escrevem cartas de amor embora em formatos diferentes e, sinceramente, gostava que não se deixasse de as escrever.
Beijinhos

Maura disse...

Não conheço ninguém melhor que tu para descrever o genuíno significado da palavra amor... Adorei o texto...
beijinho da amiga que te adora...

Ricardo Veloso disse...

Olá Maura
Muito obrigado pelo teu comentário. De facto, o amor está, ou deveria estar, acima de todas as coisas e quando amamos de verdade não existem comparações ou restrições. Apenas e só amamos... amamos a essência das pessoas, o seu interior, a sua forma de ser...
Adorei conhecer e viver nos Açores e, em grande parte, isso deve-se a ti e ao privilégio que tive de te conhecer.
Beijo do teu amigo,
Ricardo

Adriana Veloso disse...

Só tenho duas coisas a dizer:
- Mais vale tarde do que nunca (em relação ao teres-t esquecido de dizer obrigado muitas vezes, mas todos somos humanos.. tu nunca irias imaginar o que ia acontecer, pensavas q havia tempo. Mas a verdade é q nao havia... ela está muito orgulhosa do que és, e onde quer q ela esteja, quer q sejas feliz, e perdoa o teu esquecimento... provavelmente ela tbm queria ter-t dito muita coisa..)

- Aqueles q amamos nunca morrem (Ela continua e sempre continuará no teu coração, lembra-te sempre dela com um sorriso, oferece um pouquinho do teu tempo só para lhe dizeres ''adoro-te amiga'')

Ricardo Veloso disse...

Filipa
Sabes bem que a vida é assim. Temos tido essa experiência (de vermos partir cedo quem amamos), mas hoje recordo-a com um sorriso e com carinho. Amava-a. Ajudou-me muito como sabes, mas um dia teve que partir...
Deus a guarde. Eu sei que ela está bem e que me acompanha sempre...
Beijo

Ana Paula disse...

Meu Deus....um texto mt envolvente e, sofrido.
Dizer Adeus, nunca será natural. Deixarmos seguir a vida, quando se aparta de nós alguém que tanto amávamos...não é fácil.
Somente, posso dizer que reconheço cada momento (feito em palavras) que descreves e, de certa forma imortalizas.
Ainda hoje, não sei por vezes lidar com essa falta, que sempre me fará!
Ainda que a felicidade tenha sido plena, enquanto a pude ter em mim!
Pensador, és especial.
Bj

Ricardo Veloso disse...

Olá Ana Paula
De facto, eu aprendi a aceitar as partidas como algo natural, mas não quer dizer que não sofra um pouco com elas. A minha condição de humano ainda não me permite fazê-lo de outra forma, mas é algo que gostaria de fazer no futuro.
Além disto, gostaria de te dizer que este é um dos meus textos favoritos.
Por fim, quero agradecer os comentários (sentidos) que tens feito aqui ao meu blog, comentários esses, que juntamente com todos os outros, me dão força e coragem para continuar a publicar textos.
Beijos