domingo, 29 de novembro de 2009

Fragmentos do passado

Hoje saí à procura de mim. Na verdade, nem sei bem por que saí, pois saí sem rumo, sem destino e supostamente sem razão alguma. Porém, nada na vida é por acaso. Acredito piamente nesta afirmação. Contudo, a saída deu-se sem razão aparente, mas como tudo tem uma razão, ela acaba por surgir mais tarde ou mais cedo.
Ao longo desta saída, tropecei em partes de mim, partes do meu passado que hoje se manifestaram. Por momentos, pensei que haviam coisas do meu passado por resolver. No entanto, a forma como as recordei e, uma parte, vivenciei fizeram-me perceber que não. De facto, estes fragmentos soltos, que hoje se manifestaram, são partes de mim bem resolvidas, assuntos bem guardados e acomodados no meu baú de memórias, onde guardo religiosamente a minha história.
Apesar disso, ao ser confrontado com estas manifestações de excertos do meu eu antigo, dei-me conta que de facto mudei para melhor. Ao tomar consciência disto, reflecti.
Recordei os tempos passados na agonia, o aperto no peito na hora de tomar decisões difíceis inerentes ao terminar de um ciclo. De facto, houve ciclos que se fecharam, houve medo de falhar, na tomada de decisões, e existiram muitas dúvidas sobre a minha capacidade de resistir ao desejo de voltar atrás. Hoje, a vida, de forma subtil, mostrou-me que o caminho é para a frente, que não devemos temer as mudanças, pois quase sempre elas se dão para melhor. Porém, tal não significa que, de quando em vez, esses fragmentos do passado não se manifestem. Hoje, alguns desses fragmentos manifestaram-se, com o objectivo de me mostrar a mim mesmo tudo aquilo que fui capaz de superar, apesar de naquele momento duvidar. De facto, tudo acontece por uma razão…
Há momentos em que recordar é viver! 

33 comentários:

Menina do cantinho disse...

Olá!
Simplesmente lindo, deixou-me sem palavras.

Acho que não consigo dizer mais nada do que parabéns e obrigado.

Parabéns e obrigado por este e todos os outros fantásticos pensamentos que nos deixam a reflectir e que nos dão coragem em tantos momentos da vida.

Beijinhos :)

Susana disse...

Olá Ricardo,

de facto é muito importante resolver os ciclos passados, só conseguimos abrir novos ciclos quando tivermos a certeza de que o baú está arrumado. Arruma-lo e guardá-lo muito bem guardado é fundamental, Porém, todas as nossas vivencias são importantes, não devemos esquece-las mas tirar delas o seu sumo, porque se és a pessoa que és hoje deve-se a todas essas vivencias vividas são elas que te ajudam a mudar, a crescer como ser humano e tornar-te um ser cada vez melhor...

Adorei o texto parabens..

Beijinho

Ricardo Veloso disse...

Olá Menina do Cantinho
Sem palavras deixas-me tu, com os teus comentários. Ditos e escritos da forma que o fazes, fazem-me sentir especial e acreditar que tenho um dedo para a escrita e eu não acho isso :-). De facto, acho que tenho muito mais jeito para falar do que para escrever.
Espero continuar a escrever, pois na escrita muitas vezes encontro compreensão para muitos enigmas, ainda que nem todos sejam meus.
Beijinhos:-)

Ricardo Veloso disse...

Olá Susana
De facto, resolver o passado é essencial para o nosso futuro. Contudo, nem todas as pessoas o fazem, umas por manifesta incapacidade, outras por puro conformismo, não esquecendo aquelas que se valorizam vitimando-se da sua vida...
Obrigado pelo apoio e pelos elogios. Dão-me força e estímulo para continuar a publicar.
Beijinhos

Ana guerreiro disse...

OLA Ricardo!
Nem sempre é facil recordar o passado quando sabemos que ainda nao esta arrumado no bau de recordações...mas tu mais uma ves mostras-te que tudo é possivel basta teremos forças para lidar com isso e com os fantasmas do passado que nos rodeam.
Beijinhos grandes

Ricardo Veloso disse...

Ola Ana
De facto, nem sempre é fácil, mas as coisas mais difíceis de alcançar são aquelas a que mais daremos valor, além de nos mostrar, claramente, que temos capacidade para enfrentar qualquer combate.
Beijinhos

Ana Guerreiro disse...

Obrigada tens toda razão...
Beijinhos

Ricardo Veloso disse...

Olá Ana
A razão é uma coisa subjectiva. Depende sempre das perspectivas e dos pontos de vista de cada um. Conforme o nosso modelo de mundo, podemos estar sempre certos... mas pode faltar a humildade!
Beijinho

isabel disse...

como sempre o fazes uma vez mais ,algo especial.
Recordar é viver,é a maior herança que podemos ter de alguem ...e acredita que tu seràs de certo modo uma das pessoas que me deixaràs uma enorme herança...parabens por seres quem és...simplesmente ...especial.um leve e alegre beijo.

Ricardo Veloso disse...

Olá Isabel
Eu herança? Não sei se quero esse fardo ou se mereço tanta consideração.
Especiais são as tuas palavras e o teu apoio, que em conjunto com o de todos os que seguem este blogue, me dão forças para continuar.
Porém, também tu és especial para mim e, mais importante que eu dizê-lo, é tu saberes isso.
Beijinho

isabel disse...

nao sejas modesto és sim uma herança;algo de precioso que quero guardar bem guardado...espero ansiosa por um novo texto...

Ricardo Veloso disse...

Assim seja:-). Quanto ao texto, tens que esperar um pouco mais. Têm que saborear um pouco este e aguardar que saia um novo do forno:-).
Beijinho

Susana disse...

Olá

Os fraguementos do passado muitas vezes são presente e acompanham-nos no futuro... Passado significa tempo em que algo aconteceu, porém esse passado pode ser presente quando os fraguementos estão presentes em nós, assim nunca será passado.

Boa semana

Ricardo Veloso disse...

Olá Susana
Concordo plenamente, principalmente quando nesse tempo que falas surgiram e aconteceram momentos marcantes. Porém, devemos ter a capacidade de recordar o passado com um sorriso, pois ele de uma forma ou de outra foi importante. No entanto, penso que não faz sentido sofrer pelo nosso passado ou por momentos que surgiram nele. A vida é uma caminhada, compostas por batalhas. Umas vezes vamos perder, outras vamos ganhar, mas nunca podemos ceder...
Viver o passado no presente, pode ser encarado também como uma forma de negação e culpabilização. Porquê?
Beijinhos

Marta disse...

Ricky, as tuas palavras são sempre capazes de me deixar tocada. Espero estar bem guardada no baú das recordações, pois fazes parte da minha vida AMIGO!

Ricardo Veloso disse...

Olá Marta
Como sabes amiga, a amizade é das coisas que mais prezo na vida e, por isso, prezo muito a tua.
As minhas palavras podem tocar-te, mas as tuas dão-me confiança e força para continuar a escrever.
Beijinho amigaaaaa

Susana disse...

Olá Ricardo,

Sabes, por vezes o que mais me apetece é apagar alguns episódios do passado...mas como sei que esses episódios são exactamente os que não se apagam da memória. Só me resta aprender a viver com eles da melhor forma possivel e retirar as elações necessárias para continuar o caminho.

Beijinho

Ricardo Veloso disse...

Olá Susana
A questão não é apagar episódios do passado, é entender esses mesmos episódios e enfrentá-los de forma a conseguirmos conviver com isso. Esquecer nunca pode ser uma solução para entender o que quer que seja.
Bjs

Susana disse...

Oi Ricardo,

será que nós seres humanos em evolução temos capacidade para entender tudo? São muitas as perguntas que só com o passar do tempo encontro as respostas. Esquecer nunca é a solução de facto é verdade...Entender a vida na sua simplicidade, na sua essência é a melhor solução, pois por vezes existe a tendencia a complica-la.

O teu texto é fantástico abre-me a mente para várias vertentes.

Beijinho

Ricardo Veloso disse...

Olá Susana
De facto, somos seres em evolução. Concordo plenamente com a tua afirmação.
Seguindo essa linha de pensamento, estamos aqui para evoluir e, dessa forma, dar resposta às questões que a vida nos levanta, pois ficar agarrado a convicções antigas, viver o passado no presente ou simplesmente ficar imóvel a ver a vida passar pode ser tudo, menos evolução.
Dessa forma, esquecer nunca é a solução, pois é o mesmo que ficar imóvel ou fingir que não aconteceu. No entanto, entender a vida na sua simplicidade não é fácil, como dizes, por que como dizes e bem, na minha modesta opinião, temos tendência a complicar. Porém, como seres inteligentes que somos, temos capacidades latentes que nos permitem dar a volta a todas as situações, por que para mim a vida nunca nos dá um fardo maior do que aquele que nós conseguimos suportar.
Pode não ser fácil, mas só assim conhecemos o nosso verdadeiro potencial.
Por fim, quero dizer-te ainda que, para mim, sim, temos capacidade para entender tudo. Por vezes, apenas não nos dá jeito entender.
Beijinhos

Susana disse...

Olá Ricardo,

Se eu fosse seguimdo a minha linha de pensamento, o teu blogue ficaria repleto de comentários e ideias minhas, no entanto não é esse o objectivo do mesmo.

Parabens por este e todos os textos, que me enche a alma e me eleva a reflexões fantásticas. Continua, de alguma forma já fazes parte da minha vida e com certeza na vida de muitas pessoas.

Beijinho

Ana guerreiro disse...

Ola ricardo mais uma vez vim ler o teu texo...
Acho lindo e faz-me sentir muito bem.
beijinhos

Ana guerreiro disse...

Ola ricardo mais uma vez vim ler o teu texo...
Acho lindo e faz-me sentir muito bem.
beijinhos

Ricardo Veloso disse...

Olá Ana
Tudo bem?
Muito obrigado pelo teu comentário. Fico feliz ao saber que o meu blog que te faz bem. A ideia é um pouco essa, fazer com que mais pessoas possam moderar ou eliminar os seus conflitos através do contacto com o meu blog e com as ideias e pontos de vista nele expostas.
Beijinho

Ana guerreiro disse...

Ola Ricardo esta tudo bem e contigo?
Estava a trabalhar e sentia-me um pouco triste entao vim um pouco ao teu blog, transmite-me alguma paz e consigo reflectir tudo o que sinto atravez das tuas palavras e isso faz-me sentir muito bem.
beijinho

Ricardo Veloso disse...

Olá Susana
Tudo bem?
De facto, o meu blogue é para ter explanadas ideias minhas, mas também busco através dele a opinião dos outros.
Na verdade, esta partilha de opiniões enriquece-me muito e estou grato à vida por me dar este privilégio através dos meus escritos.
Beijinhos

Ricardo Veloso disse...

Olá Ana
Tudo bem contigo?
Mais uma vez obrigado por visitares o meu blogue e mais uma vez te digo que fico feliz ao saber que os meus textos tornam o dia de alguém menos penoso. De facto, conforta-me saber que aprecias os meus textos e que podes vir aqui buscar forças para enfrentar o teu dia.
Beijinhos

erica disse...

Ricardo, que texto extraordinário!
Perante este texto, e todos os comentários que li só posso dizer que o que me transmites é.. Maturidade.
Maturidade de quem viveu os momentos que tinha que viver.
O teu sentimento em relação à mudança, à saudade. Sim, tb acredito que tudo acontece por uma razao.
À relativamente pouco tempo coloquei um post no meu blogue que foi lido por alguns amigos. Alguem me disse "Tens que te soltar do passado, isso n te faz bem".
Sim, temos que nos soltar do passado, mas ele é parte de nós, da nossa historia e da nossa evolução.
Será que se compreende qd digo que é importante olha a atrás e relembrar a força que houve para superar?
Talvez com o tempo, e em determinadas situações tenhamos a tendencia em complicar... Sem complicações, olha para trás e vê do que já foste capaz.
Pois só vive quem é livre. E só toma consciencia da verdadeira liberdade quem nesta vida já encarou a vida de frente.
Esta é outra coisa em que acredito piamente, a Liberdade, a capacidade de dar cor à vida, a capacidade de decisão....pois este é o unico poder que realmente possuimos e mtos nao se apercebem, somos donod de nos e podemos ter o comando da nossa vida. Mas é preciso ter coragem, é preciso saber viver!
Falei muito? : )

Os teus posts são extraordinários pelo seu conteudo, simplicidade e objectividade.
Escreves com o coração, parabens.

Um beijinho e um sorriso: )

Ricardo Veloso disse...

Olá Erica
Muito obrigado por teres voltado ao meu cantinho.
Começo por responder à primeira questão que levantas. De facto, não partilho da opinião de que tenhamos que nos "livrar" do passado, mas sim compreendê-lo e isto é bem diferente, até por que ele existe, nós um dia vivemos lá e isso influencia-nos naturalmente. Contudo, viver agarrado ao passado, em função do passado ou atribuir culpas ao nosso passado para justificarmos atitudes no nosso presente, não! Não concordo, não aprecio.
Passado é passado, passou. Há que ter coragem de seguir em frente, de recomeçar de levantar a cabeça e seguir em frente, mesmo que não saibamos para onde vamos. Ficar parado, estático, imóvel por força do passado não, obrigado.
Porém, não quero com isto dizer que devemos ignorar o nosso passado, nem tão pouco desvalorizá-lo, faz parte da nossa história e isso tem a sua importância, mas não devemos sobrevalorizá-lo e isso para mim é inquestionável.
Com isto, quero dizer que só poderás usufruir dessa liberdade que falas e aprecias se de facto tiveres capacidade de aceitar o teu passado, compreendendo-o, seja qual for a história que nele viveste. No mínimo és uma sobrevivente do teu passado e este é um detalhe que faz toda a diferença e que faz de ti especial, pois só esses "escapam" à tragédia que muitas vezes existe no passado de alguns. O teu pode ter sido trágico, é certo, mas sobreviveste.
De facto, somos donos da nossa vida, a menos que a hipotequemos na casa de penhor que mais juros cobra: passado.
Falei muito???

Beijinho
Ricardo

isabel disse...

Olà ricardo,li de novo o teu texto e hoje li com outros olhos ainda ,e desejei no fundo de mim que este texto fosse o meu sentir num futuro proximo,depois desta etapa da minha vida,pois descreve o teu passado no presente que vivo ...um beijo enorme de carinho.Isabel

Ricardo Veloso disse...

Olá Isabel
De facto, este é um dos meus textos favoritos, que penso que tem muitas verdades e diversas interpretações.
Espero, sinceramente, que consigas por o passado para trás e seguir em frente com confiança.
Beijinho

Lady Di disse...

Ola Ricardo!!

Parabéns por estas palavras que certamente fazem pensar muitos que as leêm...

Concordo plenamente com a afirmação "Tudo o que acontece não é por acaso", tudo tem uma razão para acontecer.
No curto percurso da minha vida ja fiz escolhas, em que a alma me doeu, mas agora dou por mim a pensar nelas e a dizer, foi a melhor opção. Não sei como seria se não as tivesse feito, mas gosto daquilo que tenho agora.
Assim, como acredito que o que ficou e quem ficou nesse passado, voltará para mim se assim tiver de ser...

Bjitos

Ricardo Veloso disse...

Olá Lady Di
Muito obrigado pelo teu comentário ao meu texto. Saúdo-te em especial por ser o primeiro.
De facto, por vezes temos que tomar decisões que nos fazem sofrer, mas, de igual modo, fazem-nos crescer. Muitas vezes, esse é o cerne da questão: até que ponto somos capazes de tomar decisões que nos fazem sofrer?
Beijinhos