terça-feira, 29 de dezembro de 2009

Valores, Amor e Ego...

Cada vez mais as pessoas são desprovidas de valores. Hoje em dia, as pessoas apreciam e dão mais valor a coisas que na verdade são completamente fúteis, principalmente nas relações, sejam elas quais forem.
Na verdade, as relações devem ter alicerces assentes em sentimentos e princípios que se coadunem com aqueles que são os nossos valores e princípios basilares.
Contudo, muitas vezes, por dinheiro, por interesses, as pessoas atropelam tudo e todos em busca de algo que julgam ser essencial para si mesmo, muitas vezes atropelando os seus próprios ideais, custe isso o que custar.
Na verdade, as pessoas hoje parecem pouco se preocupar com aquilo que realmente importa e que deveria estar acima de qualquer outra coisa: os nossos valores. Contudo, a sociedade materialista em que vivemos, onde quem tem mais é mais bem sucedido e/ou mais importante levou a que muita gente partisse numa busca incessante daquilo que lhes pode dar mais valor: dinheiro e/ou status.
Porém, quando as relações assentam nos sentimentos e esses são nobres, falamos de sentimentos puros, e quando gostamos dessa maneira tudo é perfeito, por que aí estamos a falar em amar, na sua essência mais sublime.
No entanto, estamos a viver uma época na qual as pessoas dão mais importância e valor às necessidades do Ego ao invés de satisfazerem as necessidades mais recônditas da Alma, fruto das liberdades conquistadas, com as quais, muitas pessoas, passaram a confundir liberdade com libertinagem e perderam o respeito por elas mesmas.
Infelizmente as pessoas, o mundo, esqueceu-se que o mais importante nas relações, sejam elas de que natureza for, é algo que não se vê; o amor. Por mais que queiramos, status, beleza, poder, etc., é algo que não poderemos garantir toda a vida, por mais dinheiro que tenhamos. Os valores, os princípios e sobretudo o carácter deveriam estar presentes em todas as relações (amizade, romance, negócio)e em todas as situações de vida, por mais difíceis que possam parecer.
Contudo, nas relações, deveríamos ser capazes de ser humildes ao ponto de aceitarmos as pessoas tal e qual como elas são, e não nos esquecermos de estender isso a nós mesmos, por que a vida um dia termina, e as marcas no corpo até podem desaparecer, com a decomposição do corpo, mas as pegadas na Alma jamais irão desaparecer, até que as pessoas compreendam que amar é aceitar as pessoas como elas são e viver é aceitar a vida como ela é e que os nossos actos ficam gravados na nossa "caixa negra": Alma.
Na verdade, somos nós que construímos o mundo, porém, a mudança terá que partir de nós e aí descobriremos o verdadeiro sentido da palavra amar e amar é: deixar de comparar...

23 comentários:

erica disse...

Meu amigo, tens uma forma de escrever que me deslumbra.
Realmente tem haver com o que conversávamos..
Aceitar a vida, os factos, as pessoas é essencial para conseguirmos viver, e não sobreviver.. Viver em harmonia connosco proprios. É um dos grandes segredos da vida.
E não é dificil, depois de se conseguir compreender.
Os valores são essenciais. O respeito pelo próximo é essencial, para que nos respeitem tambem.

Deixo-te um beijinho enorme: )

Ricardo Veloso disse...

Olá Érica
Tudo bem?
Muito obrigado pelos elogios à escrita. Pessoalmente, não acho que escreva assim tão bem, embora reconheça que de vez enquanto saem uns disparates giros.
Na verdade, tem tudo a ver com o que conversámos, o que é curioso, tendo em conta que publiquei o texto esta noite, sem tu saberes:-).
De facto, a aceitação das diferenças, reconhecendo desde logo essa igualdade transversal a todos nós, que nos confere a individualidade que faz de nós seres únicos e especiais, é fundamental para o nosso crescimento interior e para fomentarmos o respeito pelos outros e por nós mesmos.
Os valores são os pilares que devem suportar toda a nossa estrutura e devem fazer com que muitas vezes vezes tenhamos capacidade de dizer não para sermos fieis a nós mesmos.
Beijinho

erica disse...

Ricardo, é bem verdade.
E mais não tenho a acrescentar.
Era bom que as pessoas tomassem consciencia disso mesmo. Nem que fosse para viverem de bem com elas mesmas.
Pois o pior mal fazemo-nos a nos proprios, regra geral.
Quanto à escrita é verdade, gosto muito de ler o teu blogue.
Escreves umas coisas acertadas: ))

Beijinho gde

Ricardo Veloso disse...

Érica dessa forma enches o meu ego, grande e emancipado, por força da minha condição de Leão.
Eu também gosto de visitar o teu blogue e de falar contigo amiga. Os meus "acertamentos" devem ser fruto do acaso, ou da realidade.
Beijinho

Susana disse...

Olá Ricardo,

Realmente este texto dá um pouco que pensar, ou não, dependendo da prespectiva!
Parabens de facto está um texto fabuloso, nada que surpreenda, vindo de ti só podemos esperar algo belo, profundo e verdadeiro.

Os valores é algo discutível, porque é algo muito individual e particular em cada um de nós. No entanto o mais importante é preservarmos os nossos valores, cultiva-lo e incuti-los às gerações seguintes.

Beijinhos
Susana

Ricardo Veloso disse...

Olá Susana
Tudo bem contigo?
De facto, esta questão dos valores, da consciência individual e das nossas percepções / interpretações da vida, das coisas dela, do certo ou do errado é complicada. Aquilo que para uns são valores fundamentais para outros são valores banais. A questão é: qual dos dois está certo?

Beijinho

maria disse...

O texto está fantastico.
Eu digo sempre: O mundo é grande e nós não podemos mudar as pessoas todas, mas se cada um tentar mudar as pessoas do seu mundinho, concerteza que haverá resultados positivos.
Um fantastico 2010...
bj
MARIA

Susana disse...

Olá Ricardo,

Está tudo bem e espero que contigo tambem...
Eu acho que que de facto não há aqui a questão de estar certo ou errado, ambos estarão certos, cada um à susa maneira.
O que para mim é curioso e ao mesmo tempo especial é esta forma tão individual/particular de ver o mundo/sociedade, que somos todos nós.

Ao pouco vamo-nos descobrindo e aceitando a nossa própria individualidade e a dos outros, independentemente de existirem laços ou não que nos ligam.

Beijonhos

Ricardo Veloso disse...

Olá Maria
Muito obrigado pelos elogios. De facto, a mudança do mundo parte de nós e deveríamos ter essa responsabilidade e esse bom senso, pois se cada um de nós mudar um pouquinho do nosso mundo certamente criaremos um mundo melhor. Haja vontade...
Beijinho

Ricardo Veloso disse...

Olá Susana
A minha perspectiva é precisamente essa: todos nós estamos certo, segundo o nosso modelo de mundo. Todavia, aceitar a maneira como os outros vêm o mundo, reconhecendo-lhes o direito de o ver de maneira diferente é algo a que não podemos fugir, se não for por respeito que seja por boa educação. Este é um pilar fundamental para o nosso crescimento pessoal.
Beijinho

Susana disse...

Isso mesmo Ricardo não eltero nem uma virgula ao que escreves-te neste ultimo comentário, concordo plenamente...

Beijoca

Ricardo Veloso disse...

Obrigado Susana. Eu também concordo:-D.
Beijinho

Ana guerreiro disse...

Ola Ricardo
Tudo bem?
Mais um texto magnifico e muito verdadeiro, hoje em dia as pessoas nao se preocupam com o bem estar dos outros mas sim com eles proprios...
Os valores muitas vezes incutidos pelos pais nao sao postos em pratica quando se fala em ajudar em dar em fazer o bem aos outros.
As futalidades do dia a dia falam mais alto...
Adorei o texto
Beijinho

Ricardo Veloso disse...

Olá Ana
Tudo bem?
De facto, vivemos uma crise de valores sem precedentes, onde a futilidade ganhou o estatuto de imagem de marca. Porém, esta banalização dos valores acaba por ser benéfica, uma vez que passam a surgir aqui e ali pessoas especiais com mais regularidade.
Beijinho

Susana disse...

Olá Ricardo,
tenho dois miminhos no meu blogue para ti, quando quiseres vai lá espreitar..Surpresa!

Beijinhos

Susana

Menina do cantinho disse...

Olá!
Mais um belo e profundo texto em que concordo com cada palavra escrita.
Estamos a perder valores fundamentais que fazem de nós pessoas únicas. Mas talvez seja isso mesmo que a sociedade não quer: pessoas únicas.
Qualquer dia é colocada a dúvida se realmente nascemos do amor de 2 pessoas ou de uma máquina que quer pessoas altamente adaptadas a responder às necessidades fúteis.
Neste mundo em que vivemos importa subir na carreira profissional e ser "bem vista" até por pessoas desconhecidas, porque quem sabe um dia nos propõe algo monetariamente positivo.
Mas não tenho dúvidas que essas pessoas se enganam a si próprias, pois não acredito que alguém seja capaz de viver sem afecto,carinho, amor e cumplicidade.
Estamos a construir um mundo cada vez mais estranho.

Beijinhos

Ricardo Veloso disse...

Ola Menina
Tudo bem?
Sem dúvida que estamos a construir um mundo estranho, mas esperemos que esse caminho, mais tarde ou mais cedo, nos leve a algo produtivo. Por vezes os erros trazem esse crescimento.
Beijinho

Susana M disse...

Gostei especialmente deste texto porque não só concordo com cada palavra como sinto na pele cada sentimento descrito, podemos parecer poucos acreditar e ver o mundo dessa forma mas enquando houver quem sonhe com ele assim ainda existe esperança.
" Somos a luz e o sal da terra" temos de dar o exemplo, bjs

Ricardo Veloso disse...

Olá Susana
Dizia um grande sábio há muitos anos atrás que todas as grandes verdades passam por três estados:
- Primeiro, são fortemente rejeitadas
- Segundo, são ridicularizadas
- Terceiro, são finalmente aceites.
Um dia, as pessoas do mundo irão perceber que o mais importante da vida não se vê: sente-se.
Beijos

Anónimo disse...

Olá Ricardo,

acabei de ler o teu comentário, e concordo com o teor na generalidade ... mas não totalmente;
concordo que em geral a sociedade está aparentemente vazia de valores, e é natural que esse padrão se estenda aos relacionamentos; mas ... também acredito, e sinto, que no fundo todas as pessoas aspiram ao mesmo, e ninguem se sente satisfeito com relacionamentos e vidas projectados para o exterior e para a busca de status, seja a que nivel for.

Há um principio alquimista que diz algo como 'só consegues ver nos outros aquilo que transportas em ti'.... e também 'aquilo que percebes nos outros, reforças em ti'...
Dá que pensar, não dá ?...

Basicamente, há de tudo no Universo ... e cada um foca a sua atenção numa parte da chamada 'realidade' (ou Ilusão global...).

Abraço incondicional
Florbela

Ricardo Veloso disse...

Olá Florbela
Fantástica a tua abordagem e a tua perspectiva sobre o texto. Na verdade, um dos meus grandes objectivos com este blog é mesmo esse: descobrir outras perpectivas. Concordo que nós perpcepcionamos diferentes coisas nos outros, quanto aos transportes e aos reforços, penso que depende da estrutura e objectivos de cada um.
Beijos

Maria disse...

Olá Ricardo,

Não o conheço, mas andava a fazer uma pesquisa na internet sobre EGO e Amor e encontrei o seu texto. Verdadeiramente fantástico. Parabéns.
Há uma frase que irei colocar no meu mural no Facebook e irei colocar como sua.
>Bem haja. Mais uma vez parabéns e continue a escrever .... >Acredite.
Maria João

Ricardo Veloso disse...

Olá Maria,
Antes demais, quero agradecer os elogios que me endereça. Depois, agradecer-lhe por ter vindo ao meu cantinho, que espero que continue a visitar.
Quanto à frase, sirva-se, pois quando escrevo é mesmo com a intenção de partilhar aquilo que penso sobre determinados assuntos e com o intuito que os meus textos sejam úteis para alguém.
Tenho página no Facebook também, onde me pode encontrar por Ricardo Veloso.
Se gostar e/ou tiver interesse, o meu endereço de msn é ricardobraga2003@hotmail.com.
Bem haja e tenha um dia feliz.
Ricardo