sábado, 21 de abril de 2012

A derrota




Por caminhos sinuosos, o Guerreiro movimenta-se lentamente. Fugiu da boa estrada, em busca de um pouco de paz.  Talvez busque um pouco de solidão. Um pouco de silêncio para se ouvir a si mesmo. Incomoda-o as palavras do outro. Os dedos no ar e a celebração da vitória dos que venceram. Reconhece, contudo, que a vitória é justa.   
O Guerreiro não gosta de perder, mas perde. Derrotado, gosta de meditar, de refletir sobre a derrota, de procurar perceber o que falhou, o que conduziu à derrota. Não pensa em recomeçar de novo. Apenas se deixa abater. Deixa os braços cair e sente o peso da derrota.
A lição é dura e o Guerreiro procura aceitar que há guerras que não são para ganhar.
Há vitórias que exaltam, outras que corrompem; derrotas que matam, outras que despertam. (Antoine de Saint-Exupéry)

6 comentários:

maria disse...

Uma verdade tão simples de entender...

Ricardo Veloso disse...

E tão difícil de aceitar, para muitos!

Menina do cantinho disse...

Há derrotas que nos ajudam, em muito, a vencer as próximas batalhas de uma outra forma.

Samieh Saleh disse...

Muito bom o blog! Adorei.
Estou seguindo...
http://salehsamieh.blogspot.com.br/

Anónimo disse...

I do agгее with аll
the ideas you hаve ρreѕented in уour post.
Τheу're very convincing and will certainly work. Nonetheless, the posts are very brief for novices. May just you please extend them a bit from next time? Thank you for the post.

My website ... whackpedia.com

Anónimo disse...

Generallу Ӏ dо not гeaԁ article on blogѕ, howeveг I wish tо say that
this ωrite-up very foгced me to take a looκ at and do so!
Your writing style has been amazed me. Thankѕ, quite nice aгticlе.


Also ѵiѕіt my ωebpаge hair removal device