domingo, 14 de dezembro de 2008

O encontro

A hora do encontro está a chegar e eu vou-me preparar. Preparo o banho, escolho a fragância do gel de banho, desfaço a barba, aparo as unhas, escovo os dentes e finalmente tomo o banho.
De volta ao meu quarto, coloco música a gosto para alegrar a Alma e despertar o bem-estar. Missão seguinte: escolher as vestes para hoje. Estou leve, livre e feliz porque mais uma vez vou ao encontro...
Os minutos deslizam, já quase nada falta para se dar a partida. Quero chegar á hora marcada.
Faltam poucos segundos ,para a hora marcada, e eu já me encontro no lugar habitual. O dia está um pouco crespúlo, grossas gotas de chuva caem sobre o carro, ao fundo a água do rio desliza agitadamente e o som, desse movimento, hoje é mais acentuado. Sentado, rodeado pelo silêncio, aguardo a tua chegada, de sorriso estampado.
Já passa da hora marcada... Como habitualmente, alguns minutos depois da hora combinada, sinto a tua presença. Apresentas-te de barba por desfazer, dentes por escovar, unhas por aparar, banho por tomar...
Cabisbaixo, olhar triste, falas lentas e depressivas chegas-te junto de mim. Olho-te nos olhos. Enfrento a tristeza do teu olhar e começamos a falar. Queixas-te da vida, da falta de sorte, reclamas atenção, amor, carinho. Dizes nada compreender e que estás a sofrer.
Escuto com atenção todos os detalhes e simplesmente procuro ouvir. Apenas ouvir. Deixo-te desabafar.
O tempo passa, as tuas magoas esmorecem, sinto-te preparado para falar, para te fazer ouvir-me. Começo a falar. Falo-te em coragem, força, determinação, confiança e segurança. Deixo escapar um brilho no olhar. Reconheces-me o olhar e aos poucos começas a aceitar...
Os minutos passam, as meias horas aumentam e as horas chegam... Pouco a pouco és-me familiar. Reconheço-te pelo olhar... reconheço-te as dores...
A noite está a chegar e é hora de voltar. Trocamos um olhar e o reconhecimento acontece. Quem sou eu? Quem és tu? Eu sou tu e tu és eu...

18 comentários:

Su disse...

O encontro que muitos anseiam, que outros receiam, e que poucos alcançam!
Gostei...conseguiste por a alma a nu...momento lindo!

matita disse...

Fantástico! Acho que isto foi um momento de "Riverrelax" onde te reencontraste... Força querido. Marta

MARY disse...

como sempre inspiras-me! consigo rever-me um muitas dessas tuas palavras!

adolu tu

Ricardo Veloso disse...

Sem duvida este é um dos meus textos favoritos. O Encontro começa aqui mas novos paragrafos se seguem...
Obrigado pela força e pelo carinho. Gosto de vcs...

Pedro disse...

encontro??voce é muito forte nisso...entao quando muitos vêm que têm um encontro e adversário é vosse ai nem se preparam nem nada porqu simplesmente nao vale a pena..grande abraço

Simone disse...

DIZER QUE TE AMO, É APENAS UMA DESCULPA PARA DIZER QUE NÃO POSSO VIVER SEM VOCÊ,
SORRIR QUANDO QUERO CHORAR, É APENAS UMA DESCULPA PARA ROUBAR-TE UM BELO SORRISO,
CHORAR QUANDO TE QUERO, É APENAS UMA DESCULPA PARA SENTIR O TEU CALOR E ROUBAR-TE UM BEIJO,
DIZER QUE TENHO SAUDADE, É APENAS UMA DESCULPA PARA PODER TE AMAR

isabel disse...

Querido Amigo,
Ao ler o teu texto, que me cativou logo desde o primeiro segundo, reconheço nele a nossa amizade, o nosso carinho, a nossa compreensão mútua.
A tua capacidade de bom ouvinte e de bom conselheiro tem-se revelado, ao longo destes quase seis anos, marcante na minha vida de jovem mulher até à mulher actual, mais madura.
És um amigo da vida para a vida, que eu jamais quero perder!
Seleccionei um excerto do teu fabuloso texto, que descreve na perfeição muitos dos nossos momentos: "...Cabisbaixo, olhar triste, falas lentas e depressivas chegas-te junto de mim. Olho-te nos olhos. Enfrento a tristeza do teu olhar e começamos a falar. Queixas-te da vida, da falta de sorte, reclamas atenção, amor, carinho. Dizes nada compreender e que estás a sofrer.
Escuto com atenção todos os detalhes e simplesmente procuro ouvir. Apenas ouvir. Deixo-te desabafar.
O tempo passa, as tuas magoas esmorecem, sinto-te preparado para falar, para te fazer ouvir-me. Começo a falar. Falo-te em coragem, força, determinação, confiança e segurança. Deixo escapar um brilho no olhar. Reconheces-me o olhar e aos poucos começas a aceitar..."
Obrigada por tudo Amigo!
Nunca te esqueças "Tu és eu e eu sou tu"!

Ps: Estarei sempre contigo para o que precisares, quando mais precisares. Adoro-te!

Marlene disse...

Bem este texto está maravilhoso. Está mesmo muito bom amigo. Fico feliz porque te reencontraste, porque te levantaste e sobretudo porque superaste aquilo que te afastou de ti mesmo. És simplesmente inspirador. Um grande beijinho.

Marlene disse...

Não consigo ir sem te deixar uma palavra mais de apreço admiro muito a tua forma de estar na vida e a tua determinação em ser fiel aos teus princípios. Por vezes julgo ser teimosia da tua parte mas constato que de facto és de ideias fixas, bem definidas e não é fácil fazer mudar.
Continua assim, há quem precise de ser capaz de o fazer. Eu sou uma dessas pessoas.
Beijinhos

Ana Rita disse...

Este texto faz-me recordar muitos momentos que passei.
Porque são encontros como esses que ganhamos mais que um brilho no olhar.

Admiro essa capacidade de saber compreender e de apoiar, sem pressões.

Um muito obrigado por tudo.

Elsa disse...

Fantastico!!Nada supreendida..pois conheço as tuas capacidades!!Continua...obgd por todos os momentos...!!!

Elizangela disse...

Um belissimo texto adorei mesmo...
Um beijão em ti!!

Edgar Veloso disse...

Está espetacular e inspirador este texto. Está mesmo muito à frente. Não pares de escrever.
Abraço irmão.

Lígia Brito disse...

Adorei...vai de "encontro" á tal partilha de que falamos hoje...
Gostei mesmo Ricardo...Obrigada*

Ricardo Veloso disse...

Olá Ligia,

Antes demais, muito obrigado por teres vindo ao meu cantinho.
Como te disse, este texto foi escrito num momento "complicado" da minha vida e, na altura, reencontrou-me. Penso que se ajusta ao teu dia, e espero que te reencontre.
Beijos

Diana disse...

Ola...
Um excelente texto... Adorei!!
Esses encontros acontecem sempre que a alma os necessita e quando dás conta já aconteceu... e a alma sossega. Mas assim como acontece entre o "eu" e o "eu", também acontece entre o "eu" e o "tu" e esses são aqueles encontros que nem sempre a alma sossega...

Ps: Bons encontros e re-encontros... :-)

Ricardo Veloso disse...

Diana,

Este é seguramente um dos meus textos favoritos, que descreve na perfeição o meu estado de espírito no momento em que escrevi este texto.

Obrigado

maria disse...

"Quero chegar à hora marcada...
... Já passa da hora marcada... Como habitualmente, alguns minutos depois da hora combinada,..."
Só pergunto então... porque inventaram o relógio? Eheheheh!!!! É por isso que nunca combino horas. Sorrys grandes pelos atrasos. O encontro. Palavra-chave para o conteúdo deste excelente texto. Um beijinho grande e um ABRAÇO